31 março, 2012

Datas 01/04



1 ou 1º de abril (AO 1945: 1 de Abril) é o 91º dia do ano no calendário gregoriano (92º em anos bissextos). Faltam 274 para acabar o ano.


Nascimentos

•1122 - Leonor, Duquesa da Aquitânia e Condessa de Poitiers (m. 1204).
•1220 - Go-Saga, 88º imperador do Japão (m. 1272).
•1578 - William Harvey, físico inglês, descobridor da circulação sangüínea (m. 1657).
•1697 - Antoine François Prévost, escritor e novelista francês (m. 1763).
•1753 - Joseph de Maistre, diplomata e escritor francês (m. 1821).
•1776 - Sophie Germain, matemática francesa (m. 1831).
•1809 - Nikolai Gogol, escritor ucraniano (m. 1852).
•1815 - Otto von Bismarck, político alemão (m. 1898).
•1856 - Acacio Gabriel Viegas, médico indiano (m. 1933).
•1873 - Sergei Rachmaninoff, compositor, pianista e maestro russo (m. 1943)
•1898
•William James Sidis, "criança prodígio" estadunidense (m. 1944)
•Roger Bastide, sociólogo e antropólogo francês (m. 1974).
•1902 - Moreira da Silva, cantor e compositor brasileiro (m. 2000).
•1908 - Abraham Maslow, médico norte-americano (m. 1970).
•1919 - Joseph E. Murray, médico norte-americano, vencedor do Nobel de medicina em 1990.
•1920 - Toshiro Mifune, ator japonês (m. 1997).
•1925 - Wojciech Has, cineasta polonês (m. 2000).
•1929 - Milan Kundera, escritor tcheco.
•1930 - Grace Lee Whitney, atriz norte-americana.
•1932 - Debbie Reynolds, atriz norte-americana.
•1936 - Jean-Pascal Delamuraz, político suíço (m. 1998).
•1939 - Ali MacGraw, atriz norte-americana.
•1940 - Wangari Maathai, ativista queniana, ganhadora do Nobel da Paz em 2004.
•1946 - Arrigo Sacchi, ex-treinador de futebol italiano.
•1948 - Jimmy Cliff, músico, cantor e compositor jamaicano.
•1949 - Ana Maria Braga, jornalista e apresentadora de televisão brasileira.
•1950 - Loris Kessel, automobilista suíço (m. 2010).
•1952 - Annette O'Toole, atriz norte-americana.
•1953 - Barry Sonnenfeld, diretor e produtor cinematográfico estadunidense.
•1955 - Dave Spitz, músico norte-americano.
•1958 - Tita, ex-futebolista e treinador de futebol brasileiro.
•1960 - Marina Koshevaya, nadadora russa, campeã olímpica.
•1961
•Susan Boyle, cantora britânica.
•Astrid Fontenelle, apresentadora de televisão brasileira.
•Ocimar Versolato, estilista brasileiro.
•1964
•José Rodrigues dos Santos, jornalista português.
•Kevin Duckworth, jogador de basquete norte-americano (m. 2008).
•1965 - Simona Ventura, modelo e apresentadora de televisão italiana.
•1967 - Phil Demmel, músico norte-americano.
•1969 - Dean Windass, futebolista inglês.
•1970
•Sung Hi Lee, modelo sul-coreana.
•Brad Meltzer, escritor e quadrinista norte-americano.
•1971 - Shinji Nakano, piloto japonês de automobilismo.
•1973 - Cristiano Doni, futebolista italiano.
•1974
•Vladimir Beschastnykh, ex-futebolista russo.
•Hugo Ibarra, ex-futebolista argentino.
•Beatriz Batarda, atriz portuguesa.
•Alberto Rodríguez, futebolista mexicano.
•1975
•Washington, ex-futebolista brasileiro.
•George Bastl, tenista suíço.
•1976
•Clarence Seedorf, futebolista neerlandês.
•Marinho, ex-futebolista brasileiro.
•1977
•Vitor Belfort, Lutador de MMA.
•1978
•Andrey Karyaka, futebolista russo.
•Antonio De Nigris, futebolista mexicano (m 2009).
•Miroslava Vavrinec, ex-tenista suíça.
•Sébastian Roth, futebolista suíço.
•1980
•Kléber Corrêa, futebolista brasileiro.
•Randy Orton, wrestler norte-americano.
•YÅ«ko Takeuchi, atriz japonesa.
•Bijou Phillips, atriz norte-americana.
•1981
•Bruno Tiago, futebolista português.
•Alx Danielsson, piloto sueco de corridas.
•Armando Babaioff, ator brasileiro.
•Janaina Jacobina, apresentadora brasileira.
•1982
•Róbert Vittek, futebolista eslovaco.
•Zhang Xiaoping, pugilista chinês.
•1983
•Sergey Lazarev, cantor russo.
•Robert Anderson, futebolista brasileiro.
•Amr Zaki, futebolista egípcio.
•Romeo Hamzaj, futebolista albanês.
•1984 - Jonas, futebolista brasileiro.
•1985
•Réver, futebolista brasileiro.
•Manuel Reina Rodríguez, futebolista espanhol.
•Elizabeth Tweddle, ginasta britânica.
•1986 - Haminu Dramani, futebolista ganês.
•1987
•Vitorino Antunes, futebolista português.
•Jenna Presley, atriz norte-americana.
•José Ortigoza, futebolista paraguaio.
•1988
•Kayke, futebolista brasileiro.
•Courtney McCool, ginasta norte-americana.
•1989
•Christian Vietoris, automobilista alemão.
•David N'Gog, futebolista francês.
•Matías Aguirregaray, futebolista uruguaio.
•1997 - Asa Butterfield, ator britânico


Falecimentos



•304 - Papa Marcelino.
•1915 - Theodor Altermann, cenógrafo e ator estoniano (n.1885).
•1930 - Zauditu, imperatriz etíope (n.1876).
•1947 - Jorge II, rei da Grécia (n.1890)
•1968 - Lev Landau, físico e matemático soviético (n. 1908).
•1976 - Max Ernst, pintor alemão (n. 1891).
•1984 - Marvin Gaye, cantor estado-unidense (n. 1939).
•1987 - Henri Cochet, tenista francês (n. 1901).
•1996 - Mário Viegas, actor e declamador português (n. 1948).
•1997 - Ronnie Lane, músico (baixista) da banda britânica Small Faces (n. 1946).
•1999 - Marcos Rey, jornalista, escritor, roteirista e publicitário brasileiro (n. 1925).
•2002
◦Rui Manuel Nogueira Simões, presidente da Confederação da Indústria Portuguesa. (n. 1930).
◦Simo Häyhä, franco atirador finlandês (n. 1905.
•2006 - Ai Takano, cantor japonês, famoso pelos temas de abertura e encerramento de Jaspion (n.1955).

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15193


Eventos históricos

• 527 - O Imperador Bizantino Justino I nomeia Justiniano I como sucessor ao trono.
•1572 - Começa a guerra da independência da Holanda.
•1680 - Carta de Lei abolindo a escravidão dos índios no Brasil.
•1873 - Nasce o compositor e pianista russo Sergei Rachmaninov.
•1889 - No Japão Himeji recebe o estatuto de cidade.
•1922 - A África do Sul denuncia a convenção de Moçambique.
•1927 - Fundação da cidade São Lourenço, em Minas Gerais.
•1933 - Adolf Hitler ordena boicote aos negócios controlados por judeus, e congela as contas bancárias dos mesmos.
•1937 - Entra em vigor a Constituição da Índia. Os partidos abstêm-se de formar Governo, exigindo a independência completa do país.
•1939 - Termina a guerra civil espanhola e começa a ditadura franquista.

•1945 - Segunda Guerra Mundial: Tropas dos Estados Unidos da América desembarcam em Okinawa, na batalha de Okinawa.
•1946 - Terremoto de 7,8 de magnitude próximo das ilhas Aleutas cria um tsunami que atinge o Havai, matando 150 pessoas.
•1948 - A União Soviética começa a interferir no tráfego aéreo entre Berlim e a Alemanha Ocidental.
•1959 - A Mauritânia adopta a sua bandeira.
•1960 - O governo da África do Sul proíbe o Congresso Nacional Africano (ANC) e o Congresso Pan-Africano.
•1964 (ou 31 de março) - Início do Governo Militar ocorrido na madrugada de 01 de abril de 1964 no Brasil destituindo o então presidente João Goulart.
•1962 - A Suíça recusa, em referendo, a produção e importação de armas nucleares.
•1964 - François Duvalier se autoproclama presidente vitalício do Haiti.
•1976 - Fundada a Apple por Steve Jobs e Steve Wozniak.
•1977 - O Governo democrático espanhol dissolve a Falange Espanhola, partido único do regime ditatorial de Francisco Franco.
•1979 - Fundado o canal infanto-juvenil de TV Nickelodeon.
•1990 - É constituído o Partido Liberal-Democrata, o primeiro partido não-comunista na URSS.
•1996 - Uma reorganização administrativa na Escócia abole os distritos para a instituição de 32 Áreas de Conselho e em Gales os distritos são abolidos para a formação das 22 Principal Area.
•1997 - Portugal assume a presidência do Conselho de Segurança das Nações Unidas.
•2001 - O antigo presidente jugoslavo Slobodan Milošević entrega-se à polícia jusgoslava.
•2002 - Os Países Baixos tornam-se o primeiro país a legalizar a eutanásia.
•2006 - O deputado e ex-secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Mário David, é eleito vice-presidente do Partido Popular Europeu, a maior família política do Parlamento Europeu.
•2007 - O ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol, Miguel Ángel Moratinos, inicia a visita Cuba, a primeira de um chefe europeu de diplomacia, depois das sanções adoptadas pela União Europeia em 2003.


Feriados e eventos cíclicos

•Aniversário da cidade de São João Nepomuceno.
•1 de Abril é tido como o Dia da mentira em muitos países.
•Mitologia nórdica: dia consagrado ao deus Loki, dos truques e das brincadeiras, culto que teria posteriormente gerado o Dia da Mentira.

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15192

Chico Buarque e Moreira da Silva - Doze Anos - Ópera do Malandro




Antônio Moreira da Silva (Rio de Janeiro, 1 de abril de 1902 — Rio de Janeiro, 6 de junho de 2000) foi um cantor e compositor brasileiro, também conhecido como Kid Moringueira.

Canto mestiço







Nem bolero, nem samba. Clara Nunes encontrou sua identidade pública ao abraçar a diversidade cultural e religiosa do país.

Se vocês querem saber quem eu sou
Eu sou a tal mineira
Filha de Angola, de Keto e Nagô
Não sou de brincadeira
Canto pelos sete cantos
Não temo quebrantos
Porque eu sou guerreira

Assim se apresenta Clara Nunes em "Guerreira", música composta especialmente para ela por João Nogueira e Paulo César Pinheiro em 1978. Os versos resumem a imagem pública da cantora, uma das maiores intérpretes da música brasileira, falecida em 1983.

Mas até assumir essa identidade ela trilhou um caminho de transformações pessoais e profissionais. Clara Francisca nasceu em 1942, em Paraopeba (atual Caetanópolis), interior de Minas Gerais. Sétima filha de Mané Serrador, folião de reis e violeiro famoso na região, ela conviveu desde pequena com manifestações típicas da cultura popular: folias, pastorinhas e congado. Ao ficar órfã de pai e mãe aos quatro anos de idade, foi criada por seus irmãos mais velhos José e Maria (a quem ela chamava de Dindinha). Além das brincadeiras comuns de cidade pequena, uma das diversões locais era organizada por um farmacêutico, que imitava os então famosos programas de calouros e de auditório em um teatro cedido pela fábrica de tecidos Cedro Cachoeira. Clara era presença certa nesses eventos, colecionando prêmios e elogios do apresentador, que a chamava de "menina dos meus olhos".

Ainda jovem, escapava até a cidade vizinha, Sete Lagoas, para se apresentar em programas de rádio. Não que esse comportamento já indicasse o futuro artístico que teria. Muitas meninas também se envolviam com o canto e outras formas de arte, como sua própria irmã Vicentina, que vivia às voltas com apresentações teatrais. Clara ainda não adotara o sobrenome Nunes da mãe, com o qual se consagraria artisticamente. Era apenas Clara Francisca, uma menina a se divertir com a música.

A vida na cidade grande começou aos 16 anos, quando se mudou com alguns irmãos para Belo Horizonte. Foi morar no bairro Renascença, onde conseguiu emprego em uma fábrica de tecidos. No tempo livre, freqüentava as barraquinhas das quermesses da Igreja de Santo Afonso. E ali, cantando sem compromisso, seu destino cruzou com o do músico e compositor Jadir Ambrósio (1922-). Encantado com a voz da moça, Jadir fez questão de arranjar oportunidades para ela se apresentar em bares e nas rádios.

O canto começava a ganhar ares de trabalho. Em 1960, já era conhecida como Clara Nunes quando venceu a fase mineira do concurso de rádio "A Voz de Ouro ABC", cantando Vinicius de Moraes. Na competição nacional, ela ficou em terceiro lugar. Assim, Clara se projetou no cenário artístico mineiro. Foi contratada pela Rádio Inconfidência, gravando seu primeiro registro fonográfico no LP "Os Vibrantes 25 Anos da Rádio Inconfidência". Cantou a música "Vida cruel", de Jadir Ambrósio e Wilson Miranda. Em 1963, assinou contrato com a Rádio Guarani e com a TV Itacolomy, retransmissora mineira da Rede Tupi, na qual tinha um programa só seu. Era o "Clara Nunes Apresenta", que vez por outra recebia estrelas nacionais, como Ângela Maria. Em 1964, foi coroada rainha do carnaval de Belo Horizonte.

Mas quem sonhava em progredir na carreira artística tinha que se aproximar de um dos pólos da indústria cultural: São Paulo ou Rio de Janeiro. Clara Nunes mudou-se para o Rio ao assinar contrato com a multinacional Odeon. Seu primeiro disco, "A Voz Adorável de Clara Nunes", saiu em 1966. A idéia da gravadora era fazer dela um "Altemar Dutra de saias", numa referência ao "rei do bolero" no Brasil. Nos anos seguintes, seu repertório flertaria com diversos estilos. Cantava boleros, sambas-canções e versões de músicas estrangeiras, além de uma passagem efêmera pelo iê-iê-iê, rock brasileiro que fazia sucesso a partir do movimento da Jovem Guarda, capitaneado por Roberto e Erasmo Carlos. Chegou a participar, ao lado de Wilson Simonal, do filme "Na Onda do Iê-Iê-Iê" (1966), dirigido por Aurélio Teixeira. Gravou também sambas, sobretudo no LP "Você passa, eu acho graça" (1968), que, além do samba-título, de Ataulpho Alves e Carlos Imperial, trazia composições de Noel Rosa, Martinho da Vila e Darcy da Mangueira.

Trabalho não lhe faltava: Clara cantava em rádios, em programas de TV, em filmes, no Rio de Janeiro, em São Paulo, em Fortaleza e em Minas. Mas o sucesso comercial demorou a chegar. Seu primeiro disco vendeu apenas 3.100 exemplares. O segundo, 6.900. O terceiro, 6.500.

A virada começou nos anos 1970, quando passou a ser produzida pelo radialista Adelzon Alves (1939-). Ele era conhecido por seu programa "O Amigo da Madrugada", da Rádio Globo, dedicado à divulgação do samba, mas nunca havia atuado como produtor de discos. O convite feito a ele pela Odeon indicava que se desejava dar novo rumo à carreira de Clara. Os ideais socialistas da época, de valorização da cultura popular brasileira como forma de superação das mazelas da sociedade capitalista e de resistência à dominação estrangeira, em especial à norte-americana, presentes na formação de Adelzon, nortearam, a partir de então, o trabalho da intérprete.

Clara possuía em sua trajetória pessoal as vivências do universo popular que o produtor propunha valorizar em sua carreira. Ela percebeu que, parafraseando o samba de Xangô da Mangueira, "quando veio de Minas", "trouxe ouro em pó": o ouro representado pela cultura popular. A cantora se transformou, a partir de então, em uma verdadeira pesquisadora, procurando registrar as mais variadas manifestações dessa cultura. Em suas muitas viagens, levava um gravador para registrar as músicas que ouvia Brasil afora. A diversidade dessas tradições passa a aparecer no repertório: além de sambas, Clara gravou frevos, forrós, cantos de trabalho, cirandas e chulas.

O gosto pelo folclore influenciou até seus compositores mais assíduos. Toninho Nascimento, parceiro de Romildo em muitas músicas gravadas por Clara, recorria a livros sobre cultura popular, como O Folclore de Januária, para se inspirar.

As performances acompanharam a transformação do repertório da cantora. As interpretações se aproximaram do canto popular e os instrumentos de percussão ganharam destaque nos arranjos. A aparência da nova Clara era outra: vestia-se de branco, assumia progressivamente os cabelos crespos (abandonando as perucas do início da carreira) e exibia as guias de seus "orixás de fé".

O interesse pelo universo popular levou Clara a se aproximar da cultura afro-brasileira. No início de 1971 fez sua primeira viagem à África, visitando Moçambique, África do Sul e Angola, onde apresentou seu canto no primeiro concurso de miss do país e conheceu danças populares. De volta, trouxe na bagagem roupas, colares, peças de artesanato e muita inspiração para dar à África lugar de destaque em sua carreira.

A idéia de filiação cultural do Brasil ao continente negro está presente em várias canções, como "Misticismo da África ao Brasil" (Mário Pereira/Vilmar Costa/João Galvão, 1971) e "Mãe África", em que canta: "No sertão, mãe preta me ensinou/Tudo aqui nós que construiu/Filho meu, tu tem sangue nagô/Como tem todo esse Brasil" (Sivuca/ Paulo César Pinheiro, 1982). As músicas que Clara Nunes gravou se afinavam com o discurso de parte do movimento negro brasileiro, que crescia nos anos 1970 defendendo a resistência cultural e a valorização das raízes africanas como forma de lutar contra o racismo.

Outro ponto importante dessa ligação de Clara com a cultura negra foi a questão religiosa. Ela não foi a primeira nem a única cantora a entoar o universo dos orixás. Mas esta associação foi tão forte que até hoje esta é a imagem que permanece na lembrança popular: vestida de branco, usando guias, com seus longos e volumosos cabelos crespos. A presença das religiões afro-brasileiras em seu repertório coincidiu com a expansão e o fortalecimento do candomblé. Processo no qual a música popular teve papel destacado.

Mas a identificação de Clara com as religiões afro-brasileiras não era apenas artística. A religiosidade sempre fez parte de sua vida. De família católica, participou na infância da Cruzada Eucarística e cantou no coro da igreja. Na juventude, assumiu o espiritismo kardecista, junto com alguns de seus irmãos. No Rio de Janeiro, aderiu à umbanda e ao candomblé sem abandonar o kardecismo e mesmo, eventualmente, práticas católicas, como a participação em missas e o recurso à comunhão. Sua experiência religiosa sincrética, tipicamente brasileira, nada tinha de superficial. Pessoa de muita fé, lia sobre o assunto. Definia-se como espírita. Mas percebia que as continuidades existentes entre essas religiões lhe permitiam transitar por elas.

A religião era tão importante para Clara que ela conferia ao seu canto um sentido religioso. A música "Minha Missão", composta por Paulo César Pinheiro e João Nogueira e gravada no LP "Clara" (1981), explicita isto: "Quando eu canto/Estou sentindo a luz de um santo/Estou ajoelhando aos pés de Deus"; "O meu canto é uma missão/Tem força de oração /E eu cumpro meu dever". Mas o canto tem também um significado político: "Canto para denunciar o açoite/Canto também contra a tirania/ Canto porque numa melodia/Acendo no coração do povo/A esperança de um mundo novo/E a luta para se viver em paz".

Apesar dos pontos em comum, havia uma diferença entre a mensagem de Clara e o discurso de parte do movimento negro, de alguns intelectuais e pais-de-santo. Enquanto eles defendiam uma suposta "pureza" cultural africana, a cantora afirmava a mestiçagem. É o que se pode ver na música "Nanaê, Nanã Naiana", composição de Sidney da Conceição gravada por Clara no LP "Alvorecer": "Sinhazinha ninada, embalada no cantar da negra otina Nanaê/Herdou todo o seu ser/Hoje em noite de luana é sinhazinha/Quem vai dançar na Mujungana, Nanaê". Se por um lado a canção sublinha a exploração sofrida pela escrava Nanaê, por outro mostra como a cultura africana é incorporada pela sinhazinha branca ninada por ela. Herdeira do ser africano, essa criança é uma representação do próprio país.

Em Clara, a afirmação do Brasil negro convive com a idéia do Brasil mestiço. Isso fica evidente nos próprios títulos do disco e do espetáculo "Canto das Três Raças", respectivamente de 1976 e 1977, do LP "Brasil Mestiço", de 1980, e do show "Clara Mestiça", de 1981. Para ela, a mestiçagem não era sinônimo de síntese, não anulava as diferenças. Isso explica por que rejeitava o rótulo de "sambista", mesmo tendo forte ligação com o mundo do samba, em especial com a Portela, sua escola do coração. Intitulava-se uma "cantora popular brasileira". Cantava diferentes gêneros de nossa música, mostrando a diversidade cultural do Brasil mestiço.

A mestiçagem também não era associada por ela a uma suposta harmonia racial. Pelo contrário, o canto de Clara explicita os conflitos. Várias músicas de seu repertório denunciam situações de exploração e de desigualdade social, do passado escravista ao cotidiano árduo dos trabalhadores e às agruras dos nordestinos que convivem com a seca – "Ê, vida de cão!/ Trabalha e nunca tem nada não/ Danação!/ Arrancando o couro pro patrão" ("Cinto Cruzado", Guinga/ Paulo César Pinheiro, 1982).

Cantar este Brasil popular, mestiço e negro foi o que Clara entendeu ser a sua missão. Por isso, o seu ofício era de natureza religiosa. O seu canto era de fé!

Silvia Brügger é professora do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de São João Del-Rei e organizadora do livro O canto mestiço de Clara Nunes (UFSJ, 2008).

Saiba mais - Livros:

CAPONE, Stefania. A Busca da África no Candomblé: tradição e poder no Brasil. Rio de Janeiro: Contracapa Livraria/Pallas, 2004.

PRANDI, Reginaldo. Segredos Guardados: Orixás na alma brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

RIDENTI, Marcelo. Em busca do povo brasileiro: artistas da revolução, do CPC à era da TV. Rio de Janeiro/São Paulo: Editora Record, 2000.


http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15189

[Cidad3_Im​prensaLivr​e] Resumos

[Cidad3_Im​prensaLivr​e] Resumo 1485

Mensagens neste resumo (13 Mensagens)
1. Saiba o que foi destaque do PT nesta semana. De: JornalCidad3
2. Boletim do Mandato Geraldo De: JornalCidad3
3.1. Jornal Diário do Litoral De: Cidad3_Sulinha
4. A Igreja combaterá mesmo a pedofilia? De: Sulinha Cidad3
5.1. Revista Época De: JornalCidad3
6.1. Partido Verde - SP De: JornalCidad3
7.1. Portal SESCSP De: JornalCidad3
8.1. Boletim Eletrônico da Agência Câmara de Notícias De: JornalCidad3
9. Observatório da Imprensa nº 687 # Destaques da Edição De: JornalCidad3
10.1. Blog do Tarso De: JornalCidad3
11. Raí 10 Oficial - visita de Zico a Fundação Gol de Letra De: Sulinha - Cidad3
12. Estreia Pânico na TV - Band 01/Abril De: Sulinha - Cidad3
13. Danilo Gentili - Foto com renato Aragão e Livro que ganhou de Sr. De: Sulinha - Cidad3


[Cidad3_Im​prensaLivr​e] Resumo 1484[1 Anexo]

Mensagens neste resumo (25 Mensagens)
1. Diogo Nogueira - Espelho - Ao Vivo e COMPLETO. e Agenda de Shows De: Sulinha Cidad3
2. Associação Dos Artistas - Peruibe/SP De: Sulinha Cidad3
3. Descoberta a nova gang das loiras em Brasilia De: Sulinha.Cidad3.ImprensaLivre
4. PagoFunk - Orgulho do Samba De: Sulinha.Cidad3.ImprensaLivre
5. José Augusto Viana Neto - agradecendo msgs niver De: Sulinha.Cidad3.ImprensaLivre
6. Av. Paulista - Salas Comerciais de 36 a 594m² De: JornalCidad3
7. Aproveite as ofertas da São Paulo Mania! De: JornalCidad3
8. SCIESP: Encontro Imobiliário - O Sucesso nas Locações de Im De: Cidad3_Sulinha
9. METRÔ/SP De: JornalCidad3
10.1. Cidade de São Paulo De: JornalCidad3
11. Anhembi Parque/SP De: JornalCidad3
12.1. Rede Nossa São Paulo De: JornalCidad3
13.1. Informativo SP Notícias De: JornalCidad3
14. Brasil precisa 'fazer mais e falar menos', diz Blatter De: JornalCidad3
15. Seminário Governança Metropolitana - Instituto Lula De: JornalCidad3
16. Rui Falcão De: JornalCidad3
17.1. Boletim Zé Dirceu De: JornalCidad3
18.1. Fundacao Perseu Abramo De: JornalCidad3
19.1. Imprensa - Edinho Silva De: JornalCidad3
20.1. Deputado Professor Carlos Giannazi De: JornalCidad3
21.1. Os Amigos do Presidente Lula De: JornalCidad3
22. Concurso público faz pergunta sobre Zorra Total e novela da Globo De: Sulinha Cidad3
23. Rita Lee - Reza De: Sulinha Cidad3
24. O programa "TV Folha" vai contar a história de Rasquera, cidadezi De: Sulinha Cidad3
25. Barraco nos bastidores do Agora é Tarde - Não Salvo De: Sulinha Cidad3

[Cidad3_Im​prensaLivr​e] Resumo 1483[5 Anexos]

Mensagens neste resumo (27 Mensagens)
1. Informativo da Prefeitura de Santo André - Edição 76 De: Sulinha - Cidad3
2. Bruno Covas: Boletim 158 De: Sulinha - Cidad3
3.1. Clara Nunes: "Deusa dos orixás" De: Sociedade Viva Clara Claridade
4. Abril Jovem: Álbum de figurinhas Galinha Pintadinha De: Sulinha - Cidad3
5. Convite e Programação - Seminário "Gênero e Tráfico de P De: JornalCidad3
6.1. Imprensa Anatel De: JornalCidad3
7.1. GazetaSP - Em anexo no seu e-mail o melhor Jornal! De: Cidad3_Sulinha
8. ATEA - Bar do Ateu e Atoas De: Sulinha - Cidad3
9. Ajuda para Animais - Sampa De: Sulinha - Cidad3
10.1. SGJ Produções De: JornalCidad3
11. Revista Brasileiros: ARTE!Brasileiros TECNOLOGIA: ARTE E SUPORTE De: Cidad3_Sulinha
12. São José De: JornalCidad3
13. Portaria do INSS - Não deixe de repassar ao maior numero de pesso De: JornalCidad3
14. Pesca contrata empresa e depois pede verba para o PT De: JornalCidad3
15.1. Agencia Envolverde De: JornalCidad3
16.1. CicloVivo De: JornalCidad3
17. As 10 coisas mais irritantes do Facebook Minilua + o bloqueio De: Sulinha Cidad3
18. Rogério Ceni no Donos da bola - Band 13hs De: Sulinha Cidad3
19. Folha SP: Emerson Fittipaldi - Foto com George Harrison De: Sulinha Cidad3
20. # Notícias de Samba & Choro De: JornalCidad3
21. Manifestantes em frente ao Clube Militar, ontem, onde aconteceu um d De: Sulinha Cidad3
22. Bezerro de seis pernas De: Sulinha Cidad3
23. Confira as reportagens do SPTV sobre cultura de periferia De: Sulinha Cidad3
24.1. Em Questão De: Sulinha Cidad3
25. Relaxa e Humor politico De: Sulinha Cidad3
26. Como Salvar de envenenamento e Cães no trabalho diminuem stress d De: Sulinha Cidad3
27.1. Subprefeitura Vila Prudente/Sapopemba/Sampa/SP De: JornalCidad3


[Cidad3_Im​prensaLivr​e] Resumo 1482[4 Anexos]

Mensagens neste resumo (20 Mensagens)
1. GRAAC - Kaká De: Sulinha - Cidad3
2. Fusca roubada no bairro da Penha/Sampa/SP De: Sulinha - Cidad3
3. George Harrison e Bob Marley. De: Sulinha - Cidad3
4. Novo mapa do Brasil De: Sulinha - Cidad3
5. Especial – Adeus Millôr Fernandes Humor Político De: Sulinha - Cidad3
6.1. Mensagens de blog - Portal Luis Nassif De: JornalCidad3
7. José Simão e voltar para ex... De: Sulinha - Cidad3
8. Anatomia do Pseudo-Intelectual - Blog do Luis Nassif De: Sulinha.Cidad3.ImprensaLivre
9.1. SMC-Bibliotecas De: Sulinha.Cidad3.ImprensaLivre
10. Raí com seis meses. De: Sulinha.Cidad3.ImprensaLivre
11. Oprah Winfrey acompanha cirurgia e quase desmaia em centro espíri De: Sulinha Cidad3
12.1. Em Questão De: Sulinha Cidad3
13. Gonzagão - Elis e Jair Rodrigues e Familia Caymmi De: Sulinha - Cidad3
14. Millôr e mensagens De: Sulinha - Cidad3
15. Jornal Última Hora entrevista Millôr Fernandes (1969). De: Sulinha - Cidad3
16. Pagu, Chiquinha Gonzaga, Homenagem para quem se foi... De: Sulinha - Cidad3
17. Vamos colaborar com GRAAC - Celso Jatene De: Sulinha.Cidad3.ImprensaLivre
18. Minhas sugestões - Chico Anysio De: Sociedade Viva Clara Claridade
19. Lider - Nação Tricolor De: Sulinha Cidad3
20. Datas 29/Março De: Sociedade Viva Clara Claridade


Sulinha

Sabedoria, Saúde e Sucesso: Sempre para todos Nós.

http://sulinhacidad3.blogspot.com.br/

http://www.facebook.com/#!/sulinhasvo
@SulinhaSVO

Fotografia Sempre Fiel de seu tempo

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/

PPS quer explicação de Stepan Nercessian por ligação com Carlinhos Cachoeira e Senador pode...



Sulinha Imprensa Livre: ele é "companheiro"...quero ver se vão agir igual estão agindo com o demo...stenes...existe o fogo amigo e o "roubo amigo"....

Companheiros e Companheiras...

Folha de S.Paulo

PPS quer explicação de Stepan Nercessian por ligação com Carlinhos Cachoeira. http://folha.com/no1070037

O deputado federal e ator admitiu à Folha ter recebido R$ 175 mil do empresário no ano passado.

Saúde, Sorte e Sucesso: Sempre.

Sulinha _ SVO

http://br.groups.yahoo.com/group/Setor3_ImprensaLivre/

http://sulinhacidad3.blogspot.com/

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15173

Datas 31/Março



Sulinha Imprensa Livre




‎31/Março/1596

Nascia o Filósofo e Matemático René Descartes


‎31/Março/1703

Nos deixava o Compositor Johann Christoph Bach.

‎31/Março/1727

Nos deixava o físico, matemático, astrônomo, alquimista, filósofo natural e teólogo. Sir Isaac Newton

‎31/Março/1732

Nascia o Compositor Franz Joseph Haydn

‎31/Março/1816

Nos deixava o Poeta e Dramaturgo Jean-François Ducis

‎31/Março/1855

Nos deixava a Poetisa e Escritora Charlotte Brontë

‎31/Março/1869

Nos deixava Hippolyte Léon Denizard Rivail.

Sob o pseudônimo de Allan Kardec, Criou a Doutria Espirita. O Kadercismo.

‎31/Março/1904

Nascia Zilda de Carvalho Espíndola, a Atriz e Cantora Aracy Cortes: 1ª dama da Canção Brasileira.

Atriz e Cantora Aracy Cortes gravou

autografo da Atriz e Cantora Aracy Cortes


‎31/Março/1914

Nos deixava o Poeta e Escritor Christian Otto Josef Wolfgang Morgenstern

‎31/Março/1926

Nascia o Ator Sydney Earle Chaplin.

Segundo filho da Atriz atriz Lita Grey e do Genial Charlie Spencer Chaplin.
... O nome Sidney foi Homenagem de Charlie ao seu irmão, companheiro na Vida e na Arte.
Sidney, filho, trabalho em alguns filmes com o pai, destacando Luzes da Ribalta (Limelight) e A Condessa de Hong Kong (A Countess From Hong Kong).

AdoLo Charlie Chaplin... Meu Mestre!!!

‎31/Março/1934

Nascia o Ator George Richard Chamberlain


‎31/Março/1936

Nascia a Atriz e Produtora Maria Ruth dos Santos Escobar.


‎31/Março/1937

Nos deixava Poeta Belmiro Ferreira Braga

Pela estrada da vida, subi morros desci ladeiras e afinal te digo: se entre amigos encontrei cachorros, entre cachorros encontrei-te amigo.
... Hoje para xingar alguém, recorro a outros nomes feios, pois entendi que elogio a quem chamo de cachorro desde que este cachorro conheci!
(poema Amigo Cachorro)


‎31/Março/1943

Nascia o Ator Christopher Walken.

‎31/Março/1945

Nos deixava Annelisse Maria Frank, mais conhecida como Anne Frank.

foi uma adolescente alemã de origem judaica, vítima do holocausto, que morreu aos quinze anos de idade num campo de concentração. Ela se tornou mundialmente famosa com a publicação póstuma de seu diário, no qual escrevia as experiências do período em que sua família se escondeu da perseguição aos judeus dos Países Baixos. O conjunto de relatos, que recebeu o nome de Diário de Anne Frank, foi publicado pela primeira vez em 1947 e é considerado um dos livros mais importantes do século XX.

‎31/Março/1963

Nos deixava o advogado, diplomata, jornalista, político e escritor João Neves da Fontoura.


‎31/Março/1963

Nascia o Ator, Bailarino, Coreógrafo Paul Joseph Mercúrio.

Centro Cultural da Resistência Brasileira


‎31/Março/1964

Nascia a Cantora Virgínia Rodrigues.


‎31/Março/1964

Revolução ou Golpe de Estado no Brasil de 1964.

Ou acelera ou olha pro retrovisor
...

Sulinha Cidad3: Para os que não esquecem, mas não Vivem da data: 31/Março/1964
sulinhacidad3.blogspot.com

‎31/Março/1968

Nascia Deise Nunes de Souza.
Foi a quarta representante do Rio Grande do Sul a ser coroada Miss Brasil, em concurso realizado na cidade de São Paulo, no dia 17 de maio de 1986. É uma apresentadora de TV e modelo brasileira.

‎31/Março/1969

Nascia a Atriz e Produtora Paula Mafra Lavigne.

Foi casado com Caetano Veloso e tiveram dois filhos.


‎31/Março/1971

Nascia Desenhista e Animador Craig McCracken.

‎31/Março/1971

Nascia o Ator Ewan Gordon McGregor.

Sulinha Imprensa Livre compartilhou um link.

Sulinha Cidad3: Datas - 31/Março/1972 - Caso Especial - Meu Primeiro Baile
sulinhacidad3.blogspot.com

‎31/Março/1984

Em cadeia de Rádio/TV, o então presidente João Batista Figueiredo – último do ciclo militar iniciado em 1964 – reafirma que seu sucessor seria escolhido por via indireta, no colégio eleitoral, mesmo com toda pressão do Movimento DIRETAS-JÁ.


‎31/Março/1993

Nos deixava o Ator Brandon Bruce Lee, filho de Bruce Lee


‎31/Março/1998

Nos deixava o Ator, Radialista, Jornalista, Compositor e Roteirista Carlos Vergueiro. Personagem Importante na Cultura Brasileira, principalmente a Paulista.

Pai dos Cantores e Compositores Carlinhos e Guilherme Vergueiro e avô da Cantora e Compositora, pioneira como apresentadora de programas de esportes radicais, Dora Vergueiro.


‎31/Março

Saúde e Nutrição

Centro Cultural da Resistência Brasileira


Viva Clara Claridade


http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/



Simone Ancelmo Canta na Portela



Simone Ancelmo Obrigada Sulinha Imprensa Livre querida pela força!


Viva Clara Claridade


http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/


http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15179

CN - A beleza que canta - Revista de História



Ela foi a primeira a quebrar o tabu de que mulher não vendia disco com as mais de 100.000 cópias do compacto “Tristeza, Pé no Chão”, em 1973. Inovou ao levar religiosidade e elementos estéticos africanos para o meio fonográfico. E foi uma das pioneiras no resgate de baluartes do samba, como Cartola (1908-1980) e Nelson Cavaquinho (1911-1986). Em agosto, quando completaria 70 anos, Clara Nunes (1942-1983) finalmente terá um memorial todo dedicado a seu acervo em Caetanópolis, sua cidade natal, a 100 quilômetros de Belo Horizonte. Em breve, a casa em que nasceu, doada à prefeitura no fim de 2011, também será restaurada, e ajudará a formar um circuito considerável em torno da imagem da cantora.

“Clara não jogava nada fora, guardou até a roupa com que foi coroada Rainha do Carnaval em Belo Horizonte, nos anos 1960. Depois que ela morreu, guardamos tudo. Discos de Ouro, troféus, acessórios, fantasias, reportagens, mais de 2.000 fotos. Já são 29 anos de luta para criar o Memorial Clara Nunes. Devo ter feito uns seis projetos, mas só agora conseguimos levar à frente. Temos até o apoio da Universidade de São João Del Rei, que está restaurando o acervo e organizando a montagem da exposição”, conta Maria Gonçalves, também conhecida como Dona Mariquita, irmã de Clara.

O memorial será inaugurado junto com a sétima edição do Festival Clara Nunes, no início de agosto. Além das atrações tradicionais, como pintura, dança, música e a presença da Velha Guarda da Portela – escola que homenageou a cantora no samba-enredo deste ano –, Dona Mariquita convidará todos os amigos de Clara para o evento. A ideia da Secretaria de Cultura da cidade é que a edição deste ano seja a maior de todas.

Foi ainda em Caetanópolis – na época Cedro, distrito de Paraopeba – que Clara começou a participar de concursos de calouros. Mas só em Belo Horizonte ela se consolidou como cantora, ao ganhar a fase mineira do concurso “A Voz de Ouro do ABC” e se classificar no terceiro lugar nacional. “Foi aí que ela veio ao Rio gravar seu primeiro LP, em 1966. Ela começou cantando bolero, versões de músicas francesas e italianas, flertou com a Jovem Guarda, participou de festivais universitários... Mas só a partir dos anos 1970, quando mudou todo seu conceito de música e estética, começou a fazer sucesso”, afirma o jornalista Vagner Fernandes, autor de Guerreira da Utopia (Ediouro, 2007).

Com seu novo produtor, o radialista Adelzon Alves, Clara construiu uma nova imagem ligada às raízes da cultura brasileira. Começou a gravar sambas, frevos, forrós e jongos, mudou a forma de interpretar e passou a usar roupas e acessórios que remetiam a religiões afro-brasileiras. “Essa imagem foi construída, mas Clara sempre se interessou por essas religiões. Aliás, ela era espiritualista, acreditava em qualquer caminho que pudesse levá-la a Deus”, diz Fernandes. O sincretismo religioso será um dos pontos fortes do memorial, que terá desde objetos de umbanda e candomblé até o acervo barroco que decorava a casa da cantora no Rio de Janeiro.



Viva Clara Claridade


http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/


http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15172

O Maranhão está feliz - Clara Nunes vai voltar



chá de quebra-pedra: O Maranhão está feliz - Clara Nunes vai voltar: Adesivo que afirma o retorno de Clara Nunes, a guerreira. Prestem atenção nas cores vermelho e preto. E na pombinha branca. "...Ô gira, dei...


Adesivo que afirma o retorno de Clara Nunes, a guerreira. Prestem atenção nas cores vermelho e preto. E na pombinha branca. "...Ô gira, deixa a gira girar..."



Após 26 anos sem ver um clipizinho sequer da mineira Clara Nunes no Fantástico, percebo em São Luís carros afirmando que ela vai voltar. "O Maranhão está feliz - A Guerreira vai voltar" com essa frase o adesivo afirma em duas linhas que a Guerreira, como carinhosamente os amigos chamavam a Clara Nunes e que foi título de uma de suas músicas, voltará.



São Luís dos tambores do Congo, de maresias, lendas e mistérios, como poetificou Bandeira Tribuzzi, será o palco da primeira sessão de reencarnação de uma cantora no Brasil? Ou a aparição da Guerreira se dará nas costas de um "cavalo" com a mineira incorporada?



Não duvido de nada, outro dia mesmo soube que a Ana Jansen estava andando pela Rua Grande assombrando os vigias da C&A e só parou na frente das Lojas Americanas, quando a carruagem furou o pneu.



Este Estado precisava mesmo retornar ao sobrenatural. Essa história de ter Vice-Governador Pastor não está com nada. A onda agora é catimbó, assessoria só espiritual e Vice-Governador tem que fazer operação policial com nome de felino, tem que ter couro de tigre.



Vamos ressuscitar a serpente da lagoa (ou Alcione, ou esbandalhada, como queiram), a versão ludovicense do monstro escocês do Lago Ness. A manguda com seus vestes brancos de sexta-feira, estará novamente rondando a Pça. Pedro II em direção ao Palácio dos Leões e fazendo reverência a Iara, mãe-d'agua, bem na frente do Hotel Central.



Salve a Guerreira, que Clara Nunes seja bem-vinda!



Atenção na letra da música Guerreira de Clara Nunes. Qualquer semelhança no apelido é mera coincidência... Eparrei!



Guerreira - Clara Nunes

Se vocês querem saber quem eu sou

Eu sou a tal mineira

Filha de Angola, de Kêto e Nagô

Não sou de brincadeira

Canto pelos sete cantos

Não temo quebrantos, porque eu sou guerreira

Dentro do samba eu nasci, me criei, me converti, e ninguem vai tombar a minha bandeira ô,ô,ô

Bole com samba que eu caio, e balanço o balaio, no som dos tantãs.

Rebolo que deito e que rolo, e me embalo e me embolo nos balangandãs.

Bambeia de lá, que eu bambeio nesse bamboleio que eu sou bambambã.

Que o samba não tem cambalacho, vai de em cima em baixo, pra quem é seu fã.

E eu sambo pela noite inteira, até amanhã de manhã, sou a mineira guerreira, filha de Ogum com Iansã.

Salve Nosso Senhor Jesus Cristo - Êpa Babá, Oxalá

Salve São Jorge Guerreiro - Ogum, ogunhê, meu pai

Salve Santa Bárbara - êparrei, minha mãe Yansã

Salve São Pedro - Kaô-Kabecile, Xangó

Salve São Sebastião - Okê-Arô-Oxóssi

Salve Nossa Senhora da Conceição - Odô-Fiabá-Yemanjá

Salve Nossa Senhora da Glória - Ora-ie-ie, Oxum

Salve Nossa Senhora de Santana - Nanã-Buruquê, Saluba, Vovó

Salve São Lázaro - Atotô, Abaluai-ê

Salve São Bartolomeu - Arrobobô, Oxum Maré

Salve o povo da rua

Salve as crianças

Salve os Preto Velho, Pai Antonio, Pai Joaquim D'Angola, Vovó Maria Conga, Saravá

E salve o Rei Nagô.



Se lascou, se lascou!!!




http://chadequebrapedra.blogspot.com.br/2009/03/o-maranhao-esta-feliz-clara-nunes-vai.html?spref=bl

Diogo Nogueira e Mariene de Castro



Enviado por em 22/01/2011
Gravado por mim :D Dia: 21/01/2011 Local: Circo Voador

Ou acelera ou olha pro retrovisor



31/Março/1964 - Revolução de 1964.

Período triste, mas temos que o esquecer. Exagero houve dos dois lados.

Um inocente foi morto dentro de um banco, num assalto que a então guerrilheira Dilma Vana Rousseff participou.
Ela está no planalto, ele no cemitério e seu pai anda dilacerado carregando uma dor, que certamente, nem Dilma nem seus companheiros sentem e carregam culpa por se acharem Heróis.
Vlado Herzog foi jornalista, professor e dramaturgo.
E só é lembrado como o Jornalista Vladimir Herzog e a foto que mostram dele é ele enforcado.
E as centenas de Jornalistas/Repórteres que são mortos exercendo a profissão?
Fim do ano passado, o Cinegrafista Gelson Domingos da Silva foi morto durante a cobertura de uma operação Batalhão de Operações Especiais (Bope) Zona Oeste do Rio de Janeiro.
Algum "esquerdista", algum "defensor" dos Direitos humanos – menos dos humanos direitos – manifestaram contra a violência? Exigiram indenização para a família que ele deixou?
E Arcanjo Antonino Lopes do Nascimento, o Reporter Tim Lopes que foi sequestrado, torturado, queimado por causa de sua profissão?

Clara Nunes tem centenas de Lindas Fotos. Vou postar só a dela no caixão?
Clara, não só tinha uma Divina Voz, como também foi a grande representante da Cultura Popular desse país.
Vou lembrar só do erro médico que a matou?

E, temos tantos problemas hoje para serem resolvidos. Nem falo da corrupção.
Falo da violência. No quarto do rapaz morto na última estúpida briga entre torcedores do Palmeiras e Corinthians, tinha armas e a imagem do símbolo do Mancha Verde desenhado na parede, com armas na mão. Na quadra da Gaviões foram encontradas fora o armamento, maconha.
São bandidos prontos para matar, e protegidos por diretorias de clubes e verba$. Nunca vimos manifestação contra diretoria, só contra jogadores.
Se a violência ficasse entre eles, mas acaba atingindo inocentes também que nada tem a haver com a historia.

Assaltaram uma chácara na grande São Paulo e não satisfeitos com o que roubaram colocaram fogo na casa matando o casal.
Isso é muito mais sério e devia ser mais preocupante do que aconteceu no período da ditadura. A violência chegou a uma crueldade sem limites.

Tem também a pedofilia e o estupro. Isso para mim, é o pior crime.
Para alguns momentos de prazer, um desgraçado acaba com a Vida de uma pessoa.
Essa semana, uma babá levou uma criança de 9 meses – repito 9 meses – para a delegacia porque suspeitava que a menina sofresse abuso Sexual que foi comprovado por exames. Nas casa só Vivem a mãe e o pai.
Na CPI da pedofilia foi realizado um DVD que o então presidente Lula assistiu dando murros na parede, de tanta raiva. Tem uma cena de uma criança que foi rachada ao meio, porque o "membro" do desgraçado era muito grande.

Tem a homofobia. Ninguém precisa ser a favor, mas ninguém tem o direito de surrar os outros por serem/pensarem diferente.

Muitos problemas hoje para ficarmos só falando da ditadura.
O Japão se recupera de tragédias que arrasam suas Terras. Vamos seguir o seu exemplo.

E os "esquerdistas", os "partidões" se deram bem com a Democracia. Altamente Remunerados, indenizados, com cargos e verbas públicas.
Estão bem pagos pelos "serviços" prestados.

O "partidão" se acha o dono da Ética/Moral/história.
Depois que aceitou Netinho em seus quadros e se "sujaram" no Ministério do Esporte – não só o que aconteceu com as denúncias contra Orlando Silva, mas o que disse e depois não disse mais o atual Aldo Rabelo e outras histórias que Vi e que estou escrevendo sobre – não tem mais "presença".
A única coisa que tem de bom e "presença" lá é a deputada Manuela D'Avila... que mulher bonita.

Repito: Ou acelera ou olha pro retrovisor.


"Tal como aconteceu no Brasil em passado recente, e novamente se tenta repetir, os demagogos se unem aos radicais, todos ambicionando o Poder para gozo pessoal"

Humberto de Allencar Castello Branco, presidente do país, na véspera de passar o cargo para Costa e Silva.
Folha de São Paulo, 14/03/67

Centro Cultural da Resistência Brasileira

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15171

Datas - 31/Março/1972 - Caso Especial - Meu Primeiro Baile



31/Março/1972

A TV Globo exibia a 1ª experiência em cores da Teledramaturgia Brasileira:
Meu Primeiro Baile. Adaptação de Janete Clair do Conto Carnet de Baile de Jacques Prevert.
Com Tarcisio Meira, Paulo José, Marcos Paulo, Sérgio Cardoso, Glória Menezes, Emiliano Queiroz, Felipe Carone, Francisco Cuoco.

Em 24/janeiro/1973 foi ao Ar a 1ª novela á cores da TV: O Bem Amado.

Centro Cultural da Resistência Brasileira

Para os que não esquecem, mas não Vivem da data: 31/Março/1964








Pedras Que Cantam – Fagner

(Dominguinhos e Fausto Nilo)



Quem é rico mora na praia mas quem trabalha nem tem onde morar
Quem não chora dorme com fome mas quem tem nome joga prata no ar
Ô tempo duro no ambiente, ô tempo escuro na memória, o tempo é quente
E o dragão é voraz....


VAMOS EMBORA DE REPENTE, VAMOS EMBORA SEM DEMORA,
VAMOS PRA FRENTE QUE PRA TRÁS NÃO DÁ MAIS


Pra ser feliz num lugar pra sorrir e cantar tanta coisa a gente inventa,
mas no dia que a poesia se arrebenta
É que as pedras vão cantar.



Centro Cultural da Resistência Brasileira

BETHANIA E CAETANO - MEU PRIMEIRO AMOR



Saudade, palavra triste
Quando se perde um grande amor
Na estrada longa da vida
Eu vou chorando a minha dor

Igual uma borboleta
Vagando triste por sobre a flor
Seu nome, sempre em meus lábios
Irei chamando por onde for

Você nem sequer se lembra
De ouvir a voz desse sofredor
Que implora por seu carinho
Só um pouquinho do seu amor

Meu primeiro amor
Tão cedo acabou
Só a dor deixou nesse peito meu

Meu primeiro amor
Foi como uma flor
Que desabrochou e logo morreu
Nessa solidão

Sem ter alegria o que me alivia
São meus tristes ais
São prantos de dor
Que dos olhos caem

É porque bem sei
Quem eu tanto amei
Não verei jamais


http://www.youtube.com/watch?v=e_WbfwAR1MU&feature=share

30 março, 2012

Kiko Dançando eu quero tchu tcha tcha

Martinho da Vila - SESC Santos, São Carlos e Rio Preto



Flávio Dino: "É uma amputação irreparável"



O ex-deputado viu o filho morrer de asma dentro de um hospital privado de Brasília. Diz que o menino foi vítima de um sistema ganancioso e desumano.

VIGILÂNCIA
Flávio Dino, pai de Marcelo. Ele sugere que o SUS e a Anvisa fiscalizem os hospitais privados como o Ministério da Educação faz com as faculdades

Na manhã de 14 de fevereiro, uma terça-feira, pouco depois das 6 horas, o ex-deputado federal Flávio Dino (PCdoB-MA), de 43 anos e pai de dois filhos, recebeu uma ligação da mulher, Deane Maria. Ela falava do Hospital Santa Lúcia, um dos maiores de Brasília, para informar que Marcelo, o caçula, sofria uma nova crise de asma depois de 16 horas de internação. Dino pegou o carro e, por ruas ainda vazias, chegou ao hospital em poucos minutos. No trajeto, o ex-deputado se manteve calmo. Previu que Marcelo passaria por uma sessão de nebulização e logo estaria bom de novo.

Ao entrar na unidade de tratamento intensivo (UTI), deparou com uma cena bem diferente da que imaginara. Marcelo ocupava uma das cinco camas, cercado por três médicos – uma mulher e dois homens –, visivelmente tensos. O filho estava inconsciente, com o rosto roxo, e parecia não respirar. “Adrenalina”, disse um dos médicos, enquanto fazia massagens cardí-acas. Poucos minutos depois, viram os dois médicos deixar a sala. A médica ficou inerte em frente a Marcelo por alguns ins-tantes. Em seguida, dirigiu-se ao casal: “O Marcelo não resistiu”.

O destino de Marcelo gera consternação porque, apenas dois dias antes, era um adolescente ativo. No domingo, Dino e Marcelo pedalaram 10 quilômetros pelo Eixão, principal avenida de Brasília. Na segunda-feira, de volta à rotina, Dino viajou a trabalho para São Paulo. Desde junho do ano passado, preside a Empresa Brasileira de Turismo (Embratur). Marcelo foi para o colégio, onde cursava o 9o ano do ensino fundamental. No final da manhã, o flamenguista Marcelo teve uma crise aguda de asma durante uma partida de futebol de salão. Sentiu falta de ar, vomitou e desmaiou. Foi socorrido e levado para o Santa Lúcia. Por volta das 14 horas, foi internado na UTI adulta do hospital e, mais tarde, transferido para a pediátrica. O prontuário médico registrou que seu quadro exigia monitoramento e que o menino necessitava de oxigenação. A mãe, Deane, fazia com-panhia.

No início daquela noite, quem assumiu o plantão do Santa Lúcia foi a médica Izaura Emídio. Aos 39 anos, especializada em pediatria e terapia intensiva, ela já vinha de uma jornada de 12 horas de plantão no Hospital Regional de Taguatinga. Ao che-gar, foi informada sobre as condições de saúde dos três pacientes da UTI: dois bebês e Marcelo. “Ele estava conversando nor-malmente. Estava ansioso. Não estava cansado”, disse Izaura à polícia. A situação parecia tão tranquila que Deane aconselhou o marido, que pousava em Brasília de volta de São Paulo, a nem seguir para o hospital. Marcelo dormia em paz e, possivelmente, teria alta no dia seguinte, logo cedo. Durante a madrugada, a médica Izaura visitou a UTI pediátrica duas vezes. Avaliou que Marcelo e os demais pacientes apresentavam “saúde estável”.

Tudo seguia bem até as 4 horas, quando o menino deveria receber dois remédios para asma. Isso não aconteceu. Aí começa-ram as complicações. Às 5h30, a médica Izaura foi chamada para ajudar num parto no centro obstétrico, ao lado da UTI pediá-trica. Marcelo só foi tomar o remédio às 6 horas. Em seguida, começou a passar mal. A mãe, Deane, pediu à auxiliar de enfermagem que chamasse a médica. Izaura não chegou. Depois de terminar o parto, ela foi trocar o uniforme. Enquanto isso, a crise de Marcelo se agravou. “Ele disse que não estava conseguindo respirar”, afirmou Deane. Segundo a mãe, os lábios já estavam roxos. A médica, finalmente, chegou e pediu equipamento para colocar um tubo de oxigênio no menino. O material veio, segundo o hospital, mas o procedimento não foi executado naquele momento. A médica pediu à auxiliar de enfermagem que chamasse o anestesista, que trabalha com entuba-ção. Ele estava no centro cirúrgico, em outra área do hospital. A essa altura, já alertado pela mulher, Dino corria para o Santa Lúcia. O anestesista chegou à UTI pediátrica às 6h20. Pouco depois, pediu à equipe de enfermagem que substituísse o equipa-mento de entubação. Às 7 horas, Marcelo foi considerado morto.

Procurada por ÉPOCA, Izaura afirmou que qualquer informação sobre o caso compete à direção do hospital. “O paciente re-cebeu todo o atendimento que a situação exigia e no tempo adequado”, diz o médico Cícero Dantas Neto, diretor técnico do Santa Lúcia. Segundo ele, havia uma situação de risco. “A asma é uma doença extremamente grave.” Mas, segundo especialistas, casos fatais são incomuns. “Com os medicamentos e tratamentos modernos, esses eventos (mortes em hospitais por asma) são muito raros”, afirma o médico Adalberto Sperb Rubin, diretor de Comunicação da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisio-logia (SBPT) e pneumologista da Santa Casa de Porto Alegre.

Sinto muita indignação nos momentos em que racionalizo o que aconteceu. Os últimos 30 dias não existiram para mimO menino foi enterrado no dia seguinte em Brasília. No velório, passaram o vice-presidente da República, Michel Temer, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, o governador de Brasília, Agnelo Queiroz, e o ex-presidente José Sarney (PMDB), principal adversário político de Dino no Maranhão. No dia 19 de março, acompanhado de Deane, Dino recebeu É-POCA num hotel de Brasília e deu a primeira entrevista com detalhes sobre a morte do filho. Desde a tragédia, está licenciado da Embratur. Com experiência de juiz federal aposentado, Dino é comedido quando fala do inquérito policial que apura o caso, sob a responsabilidade do delegado Anderson Espíndola. Só então decidirá o que fazer para que a morte prematura de Marcelo ajude a mostrar as falhas do sistema de saúde brasileiro. Apesar da tristeza, Flávio Dino falou com firmeza por mais de uma hora. No final, cedeu à emoção e sucumbiu ao choro.


CENTRO DE SAÚDE

ÉPOCA – Como o senhor enfrenta a morte de seu filho?
Flávio Dino – Estou tentando organizar a vida. Marcelo é insubstituível. Ele era muito amoroso, carinhoso, afetuoso com a gente e na escola. Sinto muita indignação nos momentos em que racionalizo o que ocorreu. Os últimos 30 dias não existiram para mim. O que existe é 14 de fevereiro às 7 horas da manhã. É onde estou. Marcelo foi uma vítima indefesa de um sistema desumano e ganan-cioso. Foi uma tragédia de proporções inimagináveis. É uma amputação irreparável de uma parte de nossa vida. É uma dor incurá-vel, que vai nos acompanhar sempre. É a negação do direito de Marcelo viver, de ser feliz.

ÉPOCA – Que explicação o hospital deu à família?
Dino – Eles não responderam às perguntas principais. O hospital soltou uma nota. Deram a entender que o Marcelo chegou do colégio e morreu. Não. Se ele tivesse chegado do colégio muito mal e tivesse morrido na recepção, eu não estaria aqui. O pron-tuário diz que Marcelo estava bem, falando, mandando e-mail, com oxigênio lá acima de 95% o tempo todo. O que mudou entre as 6 horas e as 6h30 da manhã do dia 14 de fevereiro é o que a gente não sabe.

ÉPOCA – O que o senhor pretende fazer em relação ao hospital?
Dino – Não quero um centavo do hospital. Não recebo dinheiro da indústria da morte. Só quero a verdade. O hospital, em vez de nos trazer a verdade, fica querendo esconder, para não ter de pagar indenização.

ÉPOCA – O senhor está próximo de saber a verdade?
Dino – Prefiro aguardar o que as autoridades vão dizer. Se você me perguntar se houve crime, vou dizer que não sei. Quem vai dizer isso é a polícia e o Ministério Público. Pelo fato de ser juiz, prefiro aguardar o desfecho das investigações para falar sobre elas.

ÉPOCA – O que ocorreu durante o período em que seu filho ficou internado?
Dino – É uma longa sequência de má conduta. Meu filho chegou ao Santa Lúcia consciente, andando, tomou banho sozinho. No período em que lá esteve, nenhum exame específico foi feito. Sequer um pneumologista o avaliou. Eles minimizaram o quadro do Marcelo e, por isso, não se deram conta de que ele poderia ter outra crise. Outra questão são as condições de trabalho da médica, Izaura Emídio. Ela assumiu o plantão na noite anterior depois de 12 horas de outro plantão. Ela não tinha plenas condições de trabalho por uma questão óbvia, orgânica.

ÉPOCA – O que foi feito para tentar salvar Marcelo?
Dino – Quando ele teve a crise, a Deane (mãe), que o acompanhava no hospital, chamou a auxiliar de enfermagem. A auxiliar de enfermagem foi chamar a médica. A médica não veio. Passado algum tempo, meu filho tinha parado de respirar. Começou a ficar roxo. A auxiliar de enfermagem voltou a chamar a médica. A médica relatou à polícia que demorou porque fora se trocar.

ÉPOCA – Quanto tempo transcorreu até ela chegar?
Dino – Uns quatro minutos. Quando a médica chegou, o Marcelo estava roxo nos lábios e começou a ficar roxo no rosto também. O que a literatura médica diz? Só existe uma conduta absoluta: entubar na hora, porque significa que o paciente está em parada respiratória. Um pneumologista que está me assistindo diz que são quatro ou cinco minutos para você salvar uma vida nessas condições.

ÉPOCA – Como exigir transparência dos hospitais privados?
Dino – Esse é um papel do Poder Público. Faço analogia com a educação. Se existe um sistema público de avaliação das faculda-des, deve existir para os hospitais também. No caso específico de erros, de crimes, deve haver regras específicas que hoje não existem, de preservação da cena do crime. O hospital tem uma relação com seu corpo profissional e outra com seus pacientes. Eles só olham a relação com o corpo profissional. Tanto que os advogados dos médicos são os advogados do hospital. Eles não veem que existe um paciente que pagou pelo serviço que não foi prestado.

ÉPOCA – O que existe do outro lado do balcão?
Dino – Existe um sistema que se caracteriza pela impenetrabilidade e pela desumanidade. Quem domina todas as informações é o hospital. É preciso haver transparência no controle dessas informações, e esse direito do paciente deve ser respeitado.

ÉPOCA – O consumidor brasileiro tem a quem recorrer numa hora como essa?
Dino – Você tem de recorrer à polícia e ao Ministério Público. Por isso, defendo o fortalecimento da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e dos órgãos do Sistema Único de Saúde. Há os Conselhos Regionais, das próprias profissões. Nos hospitais privados, médicos e enfermeiros são obrigados, segundo eles, a se submeter a situações desumanas porque também não têm quem os proteja.

ÉPOCA – Numa situação de emergência, onde buscar socorro: no hospital público ou privado?
Dino – No caso dos hospitais particulares, o mais grave é a ganância. A busca do lucro máximo impede a prestação adequada dos serviços. Afinal, um hospital é uma empresa como outra qualquer, feita para lucrar, ou tem compromisso com a qualida-de? E quem fiscaliza essa qualidade? Na rede pública, temos o debate sobre verbas e sobre a corrupção. Por cima de tudo, existe a desumanidade, a coisificação da vida humana. É como se fosse produção de estatística. Nos hospitais públicos, é uma dificuldade histórica, que não distingue governos. Nos particulares, o problema é empresarial, que chamo de indústria da morte.

ÉPOCA – O senhor pretende fazer alguma campanha?
Dino – A morte dele (de Marcelo) tem de servir para alguma coisa, para dar sentido à vida dele. Não sou movido por sentimento de vingança. Luto por justiça. Nesse caso, existe uma singularidade, que é a justiça para o meu filho, mas tenho a esperança de que a morte dele sirva para a adoção de medidas que previnam ocorrências similares.

ÉPOCA – No que essa campanha pode ajudar?
Dino – Por exemplo: hoje existe o sistema de avaliação de qualidade das faculdades. O Ministério da Educação vai lá, inspeciona, atribui nota, verifica o currículo dos profissionais e, no limite, se a instituição não preencher determinados parâmetros de qua-lidade, ela poderá deixar de funcionar. Nos hospitais não existe isso. É como se fosse um comércio qualquer. Não é hora de exis-tir um sistema de avaliação de qualidade, conduzido pelo SUS, pela Anvisa, para que os consumidores possam afinal saber o que os hospitais oferecem?



De:
"Epoca"
Para:
cidad3@yahoo.com.br

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15162

Giannazi participa de ato da vitória pela preservação do `Quarteirão da Cultura' no Itaim



Vitória! "Quarteirão da Cultura" Preservado!

Na Foto: Carlos Giannazi e a atriz Eva Wilma

No dia 21 de março toda a comunidade do Itaim Bibi comemorou, nas ruas do bairro, a vitória da luta pela preservação do chamado `Quarteirão da Cultura', área municipal que compreende 8 serviços de utilidade pública como teatro, postos de saúde e, dentre eles, 3 equipamentos educacionais que seriam fechados caso a proposta da prefeitura da capital fosse colocada em prática, prejudicando estudantes, professores e funcionários. O deputado Carlos Giannazi, que desde o começo dessa mobilização comunitária apoiou incondicionalmente os moradores e usuários do complexo, esteve presente ao ato que celebrou a manutenção da vontade popular e a derrota, por parte do prefeito Kassab, de sua intenção em promover a especulação imobiliária no local. A atriz Eva Wilma, moradora das imediações do quarteirão, estava nessa luta e também compareceu ao ato.

"Foi mais uma importante e vitoriosa ação organizada da população e da cidadania contra essa prática imobiliária desenfreada e nociva promovida na cidade inteira pela prefeitura e fomentada pelos milionários interesses das construtoras", argumentou Giannazi, que organizou audiência pública na ALESP em fevereiro de 2011 — da qual Eva Wilma, entidades de defesa do patrimônio da cidade e promotores públicos também participaram —, acionou o Ministério Público Estadual, requereu junto à Comissão de Educação e Cultura da ALESP a convocação de Kassab para que prestasse esclarecimentos sobre as ações e intenções do poder público e esteve em várias reuniões e manifestações públicas contra a desapropriação, muitas promovidas, dentre outras entidades, pelo Movimento Popular em Defesa do Quarteirão da Cultura/SOS Itaim Bibi, Movimento Defenda SP, Associação Grupo Memórias do Itaim Bibi e Associação Preserva SP.


De:
"Deputado Professor Carlos Giannazi"



Giannazi conquista meia entrada para professores da rede municipal



A Assembleia Legislativa de São Paulo aprovou por unanimidade, no último dia 21 de março, a derrubada do veto ao PL 178 de 2007, de autoria do professor e deputado Carlos Giannazi (PSOL), que garante o direito ao pagamento a meia entrada em cinemas, teatros e espetáculos musicais para os professores das redes municipais do estado de São Paulo.

A Lei Estadual 10.858 de 2001, que garante o direito a meia entrada aos docentes da rede estadual de ensino, foi alterada pelo projeto de Giannazi, que incluiu também os professores das redes municipais que até então não tinham o mesmo direito.

"Os professores das redes municipais devem ter oportunidades de acessar os bens culturais como cinema, teatro e espetáculos musicais para que possam aprimorar o conhecimento, a sensibilidade e o desenvolvimento cultural e artístico de si mesmos e dos seus alunos. A aprovação desse projeto é uma forma de compensar os baixos salários pagos ao magistério público, que fica impossibilitado de freqüentar os espaços de cultura", disse Giannazi, que além de deputado é diretor da rede municipal de ensino da cidade de São Paulo.

Quando era vereador na Câmara Municipal da capital, Giannazi aprovou dois projetos com o mesmo teor que foram vetados pela ex-prefeita Marta Suplicy, em 2003, e posteriormente pelo ex-prefeito José Serra, no ano de 2005.

Já como deputado estadual em 2007, Giannazi não desistiu desse objetivo e aprovou novamente o projeto na Assembleia Legislativa, mas de novo recebeu veto do então governador Serra. No retorno do veto à ALESP, o parlamentar conseguiu derrubá-lo e agora todos os professores das redes municipais do estado de São Paulo pagarão meia entrada em cinemas, teatros e espetáculos artísticos.

Agora é lei!


De:
"Deputado Professor Carlos Giannazi"
Para:
cidad3@yahoo.com.br


http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15152

Brasil precisa 'fazer mais e falar menos', diz Blatter



O presidente da Fifa, Joseph Blatter, fez uma dura cobrança ao governo brasileiro nesta sexta-feira sobre a organização da Copa do Mundo de 2014. O dirigente declarou no último dia da reunião do comitê executivo da entidade em Zurique, na Suíça, que chegou a hora de o País "fazer mais e falar menos" ao ser questionado sobre a preparação brasileira para receber a competição.


O dirigente demonstrou clara irritação com o andamento da preparação do País para o torneio. "A bola está no campo do Brasil", disse Blatter, que reclamou do atraso nas obras de infraestrutura, aeroportos e hotéis para o Mundial de 2014, deixando claro que a aprovação da Lei Geral da Copa nesta semana não encerra os problemas do Brasil na organização do torneio.

Diferente de quarta, quando Blatter havia dito que confiava na da Copa. "Depois da reconfirmação recebida da presidenta Dilma Rousseff e do governo brasileiro quanto ao cumprimento de todas as garantias, estamos confiantes de que, apesar das muitas tarefas que todos nós ainda temos pela frente, o Brasil organizará uma Copa do Mundo da FIFA excepcional em 2014".

O presidente da Fifa também deixou claro que o secretário-geral Jérôme Valcke seguirá à frente dos preparativos para a Copa do Mundo de 2014 e defendeu que a recente polêmica está encerrada. Valcke voltará ao Brasil em maio, contrariando a posição do governo brasileiro de tentar afastá-lo do Mundial.


O governo se irritou após o francês falar que o Brasil precisava de um "chute no traseiro" para acordar e começar a trabalhar com mais agilidade pensando no Mundial de 2014. O impasse provocou o cancelamento de uma viagem do dirigente ao Brasil para vistorias aos estádios de Recife, Brasília e Cuiabá, no início do mês.

Valcke pediu desculpas pelo incidente, mas culpou um erro na tradução da sua fala pelo problema. Posteriormente, Blatter se reuniu com a presidente Dilma Roussef em Brasília e o Brasil indicou que o incidente estava encerrado.



O presidente Lula recebeu o Diretor do Banco Mundial para o Brasil, Makhtar Diop.







SVO: Visita de cortesia ou ele ainda manda e dona Dilma obedece?

Nesta segunda-feira, a agenda foi no Instituto Lula.

Diop está deixando seu cargo no Brasil esta semana para assumir a vice-presidência do Banco Mundial para a África.

Conversaram sobre cooperação Sul-Sul entre Brasil e África, especialmente nas áreas de energia e agricultura, nas quais a experiência brasileira no cerrado e no semiárido encontra condições ambientais semelhantes às que existem em vários países da África.

Diop expressou sua admiração pelo papel de Lula como um líder mundial que fez diferença na luta contra a pobreza e sua articulação entre política social e eficiência econômica.

"Eu também vim pedir para ele ser a voz para ajudar os países mais pobres a acelerarem seu desenvolvimento, a partir do exemplo das políticas aplicadas no Brasil e da mobilização de mais recursos financeiros para os países africanos."

Diop e Lula estarão no dia 3 de maio no seminário "Investindo na África: oportunidades, desafios e instrumentos para cooperação econômica", que será promovido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em sua sede no Rio de Janeiro.

De:
"Os Amigos do Presidente Lula"
Para:
cidad3@yahoo.com.br

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15153

Sessão Solene em Homenagem aos 100 anos de Apolonio de Carvalho



Dia 02 de Abril de 2012, às 10h
Local: Plenário Juscelino Kubitscheck - Assembleia Legislativa
Av. Pedro Álvares Cabral, 201 - Ibirapuera - São Paulo - SP

Iniciativa: Deputados Adriano Diogo / Rui Falcão / Simão Pedro
Apoio: Liderança do PT

De:
"Rui Falcão"
Para:
cidad3@yahoo.com.br

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15148

Revista Brasileiros




De: Revista Brasileiros
Assunto: ARTE!Brasileiros TECNOLOGIA: ARTE E SUPORTE
Para: cidad3@yahoo.com.br

Sabedoria, Saúde e Sucesso: Sempre.
Sulinha Cidad3
http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/
http://sulinhacidad3.blogspot.com/
http://www.facebook.com/#!/sulinhasvo

@SulinhaSVO

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15116

Amantes do rock poderão conferir artigos raros de suas bandas favoritas



Reconhecida como a maior exposição temática de rock da América Latina, a "Let's Rock" desembarca na cidade, mais especificamente na Oca, localizada no Parque do Ibirapuera. Abre para visitação no dia 4 de abril, com ingresso a R$ 20.

A Let's Rock será dividida de acordo com o espaço do local: no subsolo haverá fotos de Rui Mendes, Marcelo Rossi e Bob Gruen, este último também participa da abertura da mostra e de palestra; no térreo, fotos, textos e canções contarão a história do estilo musical; no primeiro andar, objetos originais de bandas nacionais e internacionais, como as primeiras baterias das bandas Motörhead e Sepultura, um disco de ouro dos Beatles, entre outros; no último piso, acontece o "Let's Rock Experience", que consiste na projeção de imagens de shows e clipes em 180º.

Para a realização da exposição, a organização conta com a parceria de museus como "Rock and Roll Hall of Fame" e colecionadores. Assim, conseguiram reunir grande conteúdo em audio, vídeo, fotografias, objetos e instrumentos, que garantem uma viagem ao universo do rock'n'roll.

Serviço
Exposição "Let's Rock"
Data: de 4 de abril a 27 de maio
Horários: das 10h às 22h
Local: Oca
Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral, s/n - Moema - Portão 3 do Parque do Ibirapuera
Preço: R$ 20 (inteira) / R$ 10 (meia-entrada)
www.letsrockexpo.com.br


De:
"Cidade de São Paulo"
Para:
cidad3@yahoo.com.br

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15142

R$ 311 milhões para gestão do Bolsa Família em 2011



SVO: Alugma dúvida por que "painho" Lula e sua "ekedi" Dilma são queridos?!?

R$ 311 milhões para gestão do Bolsa Família em 2011

Estados e municípios receberam R$ 311,2 milhões do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), em 2011, para investimentos na gestão do Bolsa Família e do Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal . Parte desses recursos, repassados por meio do Índice de Gestão Descentralizada (IGD), permite a execução de ações como a busca ativa e a atualização cadastral. O orçamento destinado aos repasses municipais e estaduais foi reforçado em 2012. O valor de referência para cálculo do IGD saltou de R$ 2,50 para R$ 3,25. Esse recurso, que era pago por família na folha de pagamentos, passou a ser pago por unidade familiar com cadastro válido e atualizado. “Em relação ao ano passado, a Lei Orçamentária de 2012 prevê aumento de 80% nos recursos para o IGD”, diz o secretário de Renda de Cidadania do MDS, Luis Henrique Paiva. “Temos um montante de R$ 560 milhões para essa ação”. Por serem os responsáveis pelo cadastramento das famílias pobres e extremamente pobres, os municípios desempenham papel estratégico na localização e identificação dessa população para atendimento pelas políticas sociais. As prefeituras receberam em 2011 um total de R$ 299,4 milhões. Outros R$ 11,8 milhões foram repassados às coordenações estaduais para atividades de apoio ao Cadastro Único e ao Bolsa Família.

From: emquestao@


To: sulinha13@hotmail.com


Sabedoria, Saúde e Sucesso: Sempre.

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/

@SulinhaSVO
http://www.facebook.com/#!/sulinhasvo

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15129

Fundo apoia empresas de turismo




O Fundo Geral do Turismo (Fungetur) fomenta obras e serviços para empresas de qualquer porte que sejam classificadas como Pessoa Jurídica de Direito Privado, para adquirir máquinas e equipamentos, bem como ampliar, reformar e modernizar empreendimentos voltados ao setor turístico. Além de condições facilitadas, o Fungetur pode ser usado para financiar até 80% do investimento fixo total do projeto. Com carência de 60 meses e prazos para amortização de até 240 meses, o Fundo Geral do Turismo tem valor financiável entre R$ 400 mil e R$ 10 milhões por projeto. Para requerer o recurso, basta o cliente ir a uma das agências da Caixa Econômica Federal com a documentação apropriada e realizar uma análise de cadastro. Com a aprovação cadastral, o empresário é chamado para apresentar o projeto para o qual deseja financiamento e, se aprovado, passará a receber as parcelas do financiamento. "Muitos empresários, principalmente aqueles que têm hospedagens fora dos grandes centros, não sabem que têm esse recurso gerenciado pelo Ministério do Turismo à disposição", explica o secretário de Programas de Desenvolvimento do Turismo do MTur, Fábio Mota.


From: emquestao@




(RJ) Exposição sobre Mário Lago até 25 de maio no Arquivo Nacional



Por Eugênia Rodrigues

"Lago Eu Sou - Um Homem do Século XXI" é o nome da mega exposição sobre Mario Lago realizada pelo Arquivo Histórico Nacional. Inaugurada para o público em 27 de março, ela fica em cartaz até 25 de maio e faz parte das comemorações em homenagem aos 100 anos de nascimento desse grande carioca. O curador é o produtor Mario Lago Filho, o Mariozinho Lago.

O saudoso compositor, ator, militante da esquerda e radialista será lembrado em fotos, versos, cartazes, cenas de novelas, peças teatrais, manuscritos, capas de livros e discos, troféus. "A sala principal foi concebida como se o próprio artista estivesse recebendo o público em sua casa", explica Mariana Marinho, a coordenadora-geral da exposição. Quem assina a coordenação de pesquisa é o cantor Pedro Paulo Malta, a direção de arte é de Beto Herriote a produção, de Adriana Schneider.

"Lago Eu Sou" conta com o patrocínio da Prefeitura e do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Eis algumas frases do mestre que são exibidas na mostra:

"Eu era para me chamar Mario de Pádua Jovita Correia do Lago, mas nasci com mais de meio metro e menos de três quilos. Na hora do registro, meu pai pensou: é muito nome pra esse langanho levar pro resto da vida. Está arriscado a nem vingar... Bota só Mario Lago. E olhe lá!"

"Quem quiser cante a sua Lapa
Que eu, cá, vou chorar a minha
Lapa, cachaça zurrapa
Muy decadente rainha."

"Eu era Partido, não era do Partido. Nunca assinei ficha de filiação. Sou marxista comunista autônomo."

Serviço:

De 27 de março de 2012 a 25 de maio de 2012, segunda a sexta, das 10h às 18h

Local: Arquivo Histórico Nacional
Praça da República, 173
Rio de Janeiro, RJ - 20211-350
Tel: 55 21 2179-1228 2179-1273
Ficha técnica:
Curadoria: Mario Lago Filho
Coordenação Geral: Mariana Marinho
Produção: Adriana Schneider
Direção de Arte: Beto Herriot
Coordenação de Pesquisa: Pedro Paulo Malta
Patrocínio: Prefeitura do Rio de Janeiro, Governo do Estado do Rio de Janeiro
Realização: L. O. S. Moraes Produções Artísticas
Produção: Dona Rosa Filmes



De:
"Agenda do Samba & Choro"
Para:
"Sulinha" cidad3@yahoo.com.br

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15125

(SP) Roberto Seresteiro e Regional Imperial sábado no SESC Santana



Por Roberto Saglietti Mahn

"Memórias Paulistas" é o nome do recital que o cantor Roberto Seresteiro e o estrondoso Regional Imperial apresentam neste sábado (31/03) no SESC Santana, às 19h, com entrada franca.

A apresentação vai trazer à baila valsas, sambas, modinhas e sambas-canções que remetem à São Paulo, além de preciosidades de compositores paulistas. Estarão presentes obras de Gastão Lamounier, Paraguassu, Dilermando Reis, Paulo Vanzolini, Eduardo Gudin, entre outros vultos.

Nesta noite, o Regional Imperial estará representado por Junior Pita (violão de 7 cordas), Ricardo Cassis (violão), Lucas Arantes (cavaquinho) e Rafael Toledo (pandeiro), além dos convidados especialíssimos Márcio Modesto (flauta) e Cleber Silveira (acordeom).

O SESC Santana fica na Av. Luiz Dumont Villares, 579 - Santana.
Quando: Sábado (31/03), às 19h
Entrada Franca.
Mais informações pelo telefone: (11) 2971-8700



De:
"Agenda do Samba & Choro"
Para:
"Sulinha" cidad3@yahoo.com.br

http://br.groups.yahoo.com/group/Cidad3_ImprensaLivre/message/15125